Diocese de Viana do Castelo •

Igreja Católica no Alto Minho

Mensagem - Quaresma 2018

MENSAGEM PARA A VIVÊNCIA DA QUARESMA EM 2018
NA DIOCESE DE VIANA DO CASTELO

AGRADECE! – Eis a palavra de ordem para este ano pastoral em que celebramos os 40 anos da criação da nossa Diocese de Viana do Castelo. Trata-se, neste convite dirigido a cada diocesano, de algo fundamental para a comunhão que faz de todos nós uma comunidade cristã. Sem nos unirmos em ação de graças ao mesmo Deus e Pai de todos, jamais seremos Igreja.
É, aliás, desse modo que iniciamos a oração jubilar proposta para rezarmos todos os dias: “Senhor Deus, nosso Pai, damos-Te graças pelo Espírito que, por Jesus Cristo, teu Filho e Nosso Senhor, derramas sobre a Igreja.” E só depois ousamos pedir: “Olha com amor, para esta Diocese de Viana do Castelo, que celebra 40 anos de caminhada como Igreja particular.”

AGRADECE! – É um dever para todo o ano jubilar, mas, com particular intensidade e frequência, para o tempo santo da Quaresma. Usando palavras de S. Paulo, a Quaresma é o tempo favorável, para nos preparamos para o dia da salvação (2 Cor 6,2), aquele dia que o Senhor fez (Sl 117/118,24), ao ressuscitar de entre os mortos o seu Filho Jesus Cristo. É d’Ele, o Senhor crucificado e ressuscitado, que vivemos como cristãos e família diocesana: do amor que brota, em sangue e água, do seu coração trespassado; o amor que o levou a vencer a morte para sempre; o amor que nos une na comunhão mais íntima; o amor, enfim, que tem de traduzir-se e fortalecer-se pela gratidão – uma gratidão que, como expressão prática de fé, tem de concretizar-se em oferta de vida.
AGRADECE! – Tem, por outras palavras, de manifestar-se em atitudes e ações. Recebestes de graça, dai de graça! – diz-nos Jesus, ao enviar-nos na missão de darmos testemunho do seu Evangelho (Mt 10,5). E que tens tu que não tenhas recebido? – pergunta-nos S. Paulo a propósito do que temos e somos, como pessoas, cristãos e membros da Igreja.
Nesta ação de graças se inserem as três práticas especificas do tempo quaresmal: a oração, que deve ser também de gratidão a Deus, fonte da vida e origem de todos os dons; o jejum e a abstinência, em que renunciamos a bens que recebemos e possuímos, para os partilharmos; a esmola, em que se exprime a partilha e se fortalecem os laços de comunhão, especialmente com aqueles que dela usufruem.
AGRADECE! – Nisto se insere também, e pelas mesmas razões, o contributo penitencial que cada um de nós é convidado a dar, como expressão de penitência quaresmal. Depois de ouvir o Conselho Episcopal, decidimos que, neste ano jubilar, seja canalizado para dois fins:
- Internamente, para a Catedral da nossa Diocese, como ajuda para as obras de restauro a que está a ser sujeita, a fim de ser ainda mais aquela igreja mãe que acolhe todos os diocesanos e fortalece a comunhão que os une;
- Externamente, para a Diocese de Navrongo-Bolgatanga, no Gana, como ajuda para o necessário e urgente apetrechamento do bloco operatório de um hospital por ela construído em zona rural particularmente carenciada.
Sejamos realmente AGRADECIDOS nas ofertas que fizermos!
Viana do Castelo, 14 de Fevereiro de 2018 – Quarta Feira de Cinzas
† Anacleto Oliveira