Diocese de Viana do Castelo •

Igreja Católica no Alto Minho

NOTA PASTORAL SOBRE A SEMANA DA DIOCESE


1. Como há muito vem sendo habitual, iremos celebrar a Semana da Diocese naquela em que ocorre o aniversário da sua fundação a 3.11.1977. Este ano, de 2017, com especial solenidade. Completamos quarenta anos de Igreja diocesana, uma idade que, pelo significado bíblico, teológico e antropológico que expus na recente Carta Pastoral Somos Igreja que Agradece, queremos assinalar com um ano jubilar (de 03.11.2017 a 04.11.2018) e um adequado programa comemorativo.
Será um jubileu em que, como diocesanos, somos convidados a reforçar a consciência da Igreja local que formamos, a dispor-nos para enfrentar e abraçar novos desafios e oportunidades que o presente e futuro nos proporcionam e, sobretudo, a confiar-nos ao Senhor numa atitude de profunda gratidão pelos bens d’Ele recebidos e de humilde prece pelo discernimento e a coragem para, em tudo, fazermos a sua vontade.

2. A semana (de 29.10 a 5.11) está programada de modo a evocar algumas das datas e figuras mais determinantes para a criação e a existência da Diocese. Teremos assim:
- No domingo, 29 de outubro, pelas 10,30 e na igreja de S. Domingos (Viana do Castelo), a Eucaristia junto do túmulo de Beato Bartolomeu dos Mártires, uma das figuras que, há cinco séculos, mais contribuiu para a vivência e prática cristã na então vila de Viana e em todo ao Alto Minho. Depois da Eucaristia podemos visitar, no mesmo convento, a capela, recentemente restaurada, em que se situava a cela onde viveu nos últimos anos de vida.
- Na sexta-feira, 3 de novembro, pelas 10 horas e na Sé Catedral, o início do ano jubilar com a abertura da “Porta Santa da Gratidão” e a Eucaristia concelebrada pelos sacerdotes que vivem na Diocese. Os mesmos reúnem-se de seguida no Centro Pastoral Paulo VI, o Papa que criou a Diocese, para ouvir um dos primeiros sacerdotes nela ordenados, o Padre José da Silva Lima, numa leitura dos 40 anos de vida diocesana à luz da referida Carta Pastoral. Terminamos com o almoço em comum.
- No sábado, 4 de novembro, pelas 11 horas e na sede do Instituto Católico de Viana do Castelo, a solene abertura das aulas da Escola Superior de Teologia e Ciências Humanas, uma das instituições diocesanas que mais tem contribuído para a formação de sacerdotes e leigos. Ouviremos o historiador Padre António Matos Reis, do Presbitério diocesano, falar sobre a história da Igreja no Alto Minho, antes e depois da criação da Diocese.
- No domingo, dia 5 de novembro, pelas 15,30 e na Sé Catedral, a celebração dos sacramentos da Ordem e da Eucaristia, como privilegiada expressão e vivência da fé e da comunhão que nos unem em Igreja Diocesana no presente e futuro. Para ela contribuirão o Presbítero e os Diáconos, que então são ordenados, bem como as ofertas materiais das paróquias e outras instituições eclesiais, necessárias para a sustentabilidade da Diocese e entregues nessa celebração.
3. Apelo a todos os diocesanos, sacerdotes, religiosos e religiosas e restantes fiéis a que participem neste programa. Se possível com a presença física. Se não, ao menos com outras expressões de comunhão eclesial:
- A comunhão pela oração, pessoal, familiar e sobretudo comunitária, em celebrações eucarísticas ou outras, realizadas durante a semana da Diocese. Rezemos a oração composta para este ano jubilar (e seguintes), à disposição em vários formatos. E às intenções da oração dos fiéis da celebração eucarística juntemos preces específicas pela Diocese. A oração é para ela o pulmão imprescindível para respirar e viver.
- A comunhão pelos donativos materiais. Exprimem comunhão, por serem, na sua maioria, fruto do trabalho e, como tal, da vida dos cristãos, a vida que gastam pelos outros – a exemplo e com a graça de Cristo, que por nós entregou o seu Corpo na cruz e no-lo dá em cada Eucaristia. Daí a exortação de S. Paulo a que ofereçamos os nossos corpos
como sacrifício vivo, santo, agradável a Deus (Rom 12, 1).
- A comunhão pela leitura e meditação dos mesmos textos, nomeadamente da Sagrada Escritura, que nos orientem sobre o sentido de Igreja e nos incentivem a participar na sua vida. Sugiro, nesse sentido, as passagens bíblicas que comento e em que mais me baseio na Carta Pastoral
Somos Igreja que Agradece, escrita para nos ajudar a viver o ano jubilar.
Que o Senhor, em especial nessa semana, nos una na Igreja de que é Ele o verdadeiro Pastor, sob a proteção de S. Maria Maior, S. Teotónio e dos Beatos Bartolomeu dos Mártires e Paulo VI!
Viana do Castelo, 19 de outubro de 2017
† Anacleto Oliveira