Diocese de Viana do Castelo •

Igreja Católica no Alto Minho

Quaresma

Mensagem para a vivência da Quaresma de 2017

MENSAGEM AOS DIOCESANOS DE VIANA DO CASTELO PARA A VIVÊNCIA DA QUARESMA DE 2017
1. Estamos a iniciar a Quaresma, num ano pastoral em que cada um de nós, cristãos da Diocese de Viana do Castelo, é desafiado a dizer de si próprio: Eu vim para servir! Aproveitemos este tempo – a que, no início e com S. Paulo, chamamos tempo favorável (2 Cor 6, 2) – para concretizarmos o que dizemos, colocando-nos mais intensamente ao serviço do Senhor e uns dos outros.
VER MAIS…

Mensagem para a vivência da Quaresma e da Páscoa na Diocese de Viana do Castelo

1. “Na doação a vida fortalece-se; e enfraquece-se no comodismo e no isolamento.” Estas palavras, do Episcopado Latino-americano e do Caribe, são citadas pelo Papa Francisco na sua Exortação Apostólica “A alegria do Evangelho” (n. 10). Tomemo-las como orientação e incentivo para a vivência da Quaresma e da Páscoa, que na Eucaristia de Quarta Feira de Cinzas nos são apresentadas como tempo favorável e dia da salvação (2 Cor 6, 2).

VER MAIS…

Mensagem para o tempo da Quaresma e da Páscoa 2012

1. "A Quaresma oferece-nos a oportunidade de reflectir mais uma vez sobre o cerne da vida cristã: o amor." É assim que o S. Padre Bento XVI inicia a sua mensagem para a Quaresma deste ano – um percurso, como ele acrescenta, "marcado pela oração e a partilha, pelo silêncio e o jejum, com a esperança de viver a alegria pascal." E desenvolve a sua reflexão, baseando-se na exortação de Heb 10, 24: Prestemos atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras.

VER MAIS…

Contributo Penitencial 2011

Antes da festa do Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai, Ele, que amara os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. É assim que o Evangelho segundo S. João (13, 1) nos introduz no mistério pascal da morte e ressurreição de Cristo – o mistério do mais extremo amor de Deus pela humanidade. Os "seus" de que fala S. João, em primeiro lugar, somos nós, os cristãos que já vivemos desse e para esse amor. Celebrá-lo significa deixarmo-nos conquistar ou renovar por ele. E sabemos que é por ele que nos identificamos como cristãos: É por isto que todos saberão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros – diz-nos Jesus, ainda na última Ceia (Jo 13, 35).

VER MAIS…