“O Batismo é algo contínuo e permanente”

Celebração do Batismo do SenhorA igreja de São Domingos, em Monserrate, no Arciprestado de Viana do Castelo, acolheu a celebração do Batismo do Senhor numa cerimónia presidida pelo Bispo Diocesano.

Na homilia, D. João Lavrador falou “da graça de viver a relação com Deus em Jesus Cristo”, frisando a importância do “amor fraterno para toda a humanidade”. “Devemos realizar a nossa educação cristã sempre integrados numa comunidade, partilhando a mesma fé e esperança, e vivendo este amor fraterno na partilha e entrega do nosso ser, mas sempre na escuta da Palavra e, ao mesmo tempo, dos sinais, nos quais Jesus Se torna vivo e presente no meio de nós”, começou por referir, defendendo: “Temos que ter em nós este estímulo que vem através da graça divina e, na condição de discípulos de Jesus Cristo, testemunhar um amor que não tem fronteiras nem limitações. Um Deus que quer revelar-Se a todos.”

O Bispo Diocesano apelou ainda aos fiéis para estarem “muito atentos” aos sinais, “que são revelados ao longo da história da salvação”, porque “estão presentes na sua condição de batizados”. “O Batismo é algo contínuo e permanente. É algo que devemos fazer crescer em nós, nesta condição de filhos de Deus, de pertença à comunidade, pela unção que o Espírito faz em nós, a partir da água”, afirmou, sublinhando a missão “de ir ao encontro dos irmãos”.

No final da sua intervenção, D. João deixou um convite aos fiéis para serem “voz de Deus” e tratarem “Deus como Pai”. “Assim como Deus quis regenerar, também agora tudo se está a regenerar e, por isso, o Espírito tem muitas figuras e sinais”, disse, recordando a pomba que “traz a notícia da regeneração”. “Está ligada ao amor transformador de Deus para criar uma nova comunidade”, concluiu.